Experiência Total: o que é e como os projetos da Be220 entregam essa tendência

A Be220 trabalha com foco na experiência do usuário (UX). Mas você sabe o que significa Experiência Total? Ouvimos os nossos especialistas e explicamos o conceito em detalhes e qual a relação com UX. Confira!

Uma das tendências apontadas pela Gartner, consultoria mundialmente reconhecida no ecossistema de tecnologia, para 2022 é a Experiência Total. E a que o conceito se refere? Como ele se relaciona com a experiência do usuário (UX)?

Essas e outras perguntas são respondidas por quem entende do assunto: os nossos designers (UX/UI)! Então, embarque com a gente nesta leitura e saiba tudo sobre esta tendência.

Experiência Total: o que é?

Total Experience, também conhecida por Experiência Total, engloba as experiências internas e externas da empresa. Envolve clientes, parceiros, colaboradores e usuários.

O principal objetivo é entregar a melhor experiência para todos os envolvidos com o seu negócio. É um conceito novo e recentemente destacou-se nas 12 tendências Gartner em 2022. A seguir, neste texto, vamos falar mais sobre elas. 

Com uma experiência holística, os interessados conseguem se conectar com maior facilidade com a marca. Além disso, essa prática agrega no caráter competitivo da sua empresa. 

Aderir esse conceito no seu negócio é um grande diferencial, podendo conquistar novos clientes e talentos e garantir maior satisfação dos envolvidos.

douglas lima designerEssa melhoria de experiência tanto na modalidade física quanto online também é um dos propósitos da Experiência Total, que reúne as perspectivas de employee experience e customer experience

“Hoje, todos nós estamos cada vez mais priorizando uma boa experiência em todas as nossas atividades do dia a dia, seja ela virtual ou não. Com a tecnologia presente em nosso cotidiano, nosso subconsciente, mesmo sendo uma pessoa leiga, ela vai optar por um aplicativo ou site que seja acessível e de fácil entendimento para resolver sua necessidade.”, explica Douglas Lima, designer UX/UI da Be220.

Eu Be220 SiteGabriel Azambuja, designer UX/UI da Be220, complementa:

“Através da perspectiva do usuário, buscamos formas de garantir que ele tenha uma jornada agradável e se sinta bem sempre que navegar pela nossa solução. Assim, de forma natural, ele vai querer permanecer mais tempo em um site, confiar mais em um e-commerce, colaborando com o crescimento de um aplicativo”.

Na Experiência Total, também é fundamental utilizar ferramentas adequadas para esse tipo de serviço, conectando a organização por inteira e controlando as informações de colaboradores e clientes de forma organizada.

Por isso, os gestores devem ter conhecimento das soluções tecnológicas atuais do mercado, que são focadas justamente no aprimoramento dessas experiências. 

Como aplicar a experiência total?

Promover pesquisas de satisfação é o primeiro passo para implementar a Experiência Total. A partir dessas, é possível compreender quais são os pontos fortes e fracos da sua empresa e qual é o perfil do cliente.

Em seguida, você precisa analisar os resultados obtidos. Para isso, é importante ter o suporte de Big Data e Business Inteligence, ferramentas que permitem que o gestor visualize de forma completa a relação entre consumidores e a sua empresa.

E para encerrar, você deve aplicar as melhorias detectadas ao longo do processo para desenvolver uma cultura em que o cliente é a prioridade de todos. 

Isso só é possível por conta das informações obtidas, de um planejamento de treinamento de equipes e pela otimização de processos.

Relações com experiência do usuário

É comum as pessoas confundirem Experiência Total com Experiência de Usuário, popularmente conhecido como UX. Por isso, vamos explicar como ambas estão relacionadas!

“Enquanto o conceito de UX abrange somente a interação do usuário com a marca/produto/serviço, a Experiência Total une as percepções da equipe, do cliente e stakeholders da empresa. Dessa forma, temos a visão completa do todo e de como as pessoas perceberão a sua marca”, explica Azambuja.

O UX também tem como objetivo aprimorar a comunicação interna e externa da sua empresa. Por isso, para chegar à Experiência Total, é imprescindível que a sua equipe seja formada por pessoas qualificadas a pensarem como o usuário.

“Hoje, prezamos por uma experiência única e positiva. Justamente por isso, as marcas fazem com que os clientes se sintam cada vez mais especiais. Assim, criam um laço de confiança e de amizade com seus usuários”, comenta Lima.

Sem UX, a Experiência Total pode ter um impacto negativo na sua equipe. Logo, é importante seguir o planejamento de implementação da ferramenta. 

Tendências Gartner para 2022

Recentemente, a Gartner anunciou quais são as 12 tendências de tecnologia para 2022. Confira abaixo os resultados da consultoria!

Inteligência Artificial Generativa

Essa tendência aprende sobre conteúdos ou objetos por meio de seus dados e as utilizam para produzir novos produtos. 

Além disso, tem capacidade de acelerar os ciclos de Pesquisa e Desenvolvimento na medicina, por exemplo, e criar novas maneiras de conteúdo criativo, como vídeos. 

Ela também pode produzir códigos de software e desenvolver medicamentos e marketing direcionado. Mas é preciso usar essa solução da forma correta. Do contrário, pode gerar desinformação política, golpes, fraudes e identidades forjadas.

A expectativa do Gartner é que, até 2025, a IA generativa seja responsável por 10% de todos os dados produzidos.

Data Fabric (Malha de dados)

Integração flexível de dados entre plataformas e usuários de negócios, os Data Fabrics (malha de dados) disponibilizam as informações em todos os lugares necessários, de forma independente de onde estão concentrados. 

Com o aumento do número de dados, muitos deles permanecem isolados e não são utilizados pelas empresas. Com o Data Fabric, é possível facilitar a infraestrutura de integração de dados de uma organização e criar uma arquitetura escalável. 

Dessa forma, reduz a dívida técnica apontada em grande parte das equipes de Data Analytics devido ao crescente desafio de integração.

Até 2024, a malha de dados vai quadruplicar a eficiência na utilização de dados ao diminuir em 70% as tarefas de gerenciamento de informações de humanos. 

Empresa Distribuída

Corresponde positivamente às necessidades dos colaboradores e consumidores remotos, que estão sustentando os serviços virtuais e locais de trabalho híbridos. 

Dessa forma, as empresas mais tradicionais, centradas em escritórios físicos, estão evoluindo para equipes com trabalhadores dispersos geograficamente. 

A Gartner prevê que, em 2023, 75% das organizações que exploram o conceito de empresa distribuída perceberão o crescimento de receita 25% mais rápido do que os concorrentes. 

Plataformas Nativas da Nuvem (CNPs, de Cloud-Native Platform)

Uma das grandes tendências do momento é a migração para a nuvem. No entanto, “lift-and-shift”, a migração de aplicativos e dados associados para a nuvem com o mínimo ou nenhuma alteração, deve ser evitada para que os recursos digitais sejam realmente fornecidos em todos os lugares.

No caso das Plataformas Nativas de Nuvem, já existe uma elasticidade e escalabilidade para entregar mais agilidade, reduzindo a dependência de uma infraestrutura e otimizando tempo para focar na funcionalidade do aplicativo.

A Gartner acredita que as Plataformas Nativas de Nuvem serão a base para mais de 95% das novas iniciativas digitais até 2025, contra menos de 40% em 2021. 

Sistemas Autônomos

Estes são os sistemas físicos ou de software autogerenciados que aprendem com seus ambientes e mudam, de forma dinâmica, seus próprios algoritmos em tempo real. 

A prática otimiza o desempenho e defende a si mesmo de contra-ataques, sem precisar de intervenção humana.

Os Sistemas Autônomos são os que apontam maior escalabilidade, principalmente porque acompanham dinamicamente o crescimento das empresas.

Diferente dos sistemas automatizados, os sistemas autônomos não precisam de uma atualização de software externa.

Inteligência de Decisão (DI, de Decision Intelligence)

Ela é capaz de aprimorar a tomada de decisão humana e automatizar a partir do uso de análises aumentadas, simulações e IA. Essa capacidade de decisão assertiva de uma empresa é uma grande vantagem competitiva.

Segundo a Gartner, até 2023, mais de um terço das grandes organizações vai ter analistas praticando inteligência de decisão.

Aplicações compositivas

São criadas a partir de componentes modulares centrados nos negócios. O princípio é simplificar o uso e a reutilização de código, acelerando o tempo de colocação no mercado de novas soluções de software.

A Gartner acredita que aqueles que adotarem uma abordagem compositiva vão superar a concorrência em 80% na velocidade de implementação de novos recursos.

Hiperautomação

possibilita o crescimento acelerado e resiliência nos negócios, além de  identificar, examinar e automatizar rapidamente o maior número possível de processos de negócios e de TI. 

Ela oferece escalabilidade, operação remota e interrupção do modelo de negócios.

A Gartner acredita que a hiperautomação será um fator diferencial em desempenho corporativo até 2024.

Cálculo de melhoria de privacidade (PEC, de Privacy-Enhancing Computation)

Os CIOs não podem arriscar perder a confiança do cliente por conta de incidentes de perda de privacidade. 

Por isso, a Gartner confia que 60% das grandes organizações usem uma ou mais técnicas de computação que melhorem a segurança das informações até 2025. 

As técnicas de PEC são capazes de proteger informações pessoais e confidenciais em nível de dados, software ou hardware. 

A ferramenta compartilha, agrupa e analisa dados com segurança, deixando de comprometer a confidencialidade ou a privacidade.

Malha de segurança cibernética (CSMA – Cybersecurity Mesh Architecture)

Auxilia no fornecimento de uma estrutura de segurança integrada para proteger todos os ativos, sem depender da localização. 

A Gartner defende que, até 2024, organizações que adotam essa prática reduzirão o impacto financeiro de incidentes individuais de segurança em uma média de 90%.  

Engenharia de Inteligência Artificial

Trata-se de uma ideia integrada para modelos operacionais de Inteligência Artificial. 

Até 2025, os 10% das empresas que estabelecerem as melhores práticas da área vão gerar pelo menos três vezes mais valor pelos seus investimentos em Inteligência Artificial do que os 90% das empresas que não o fazem.

Experiência Total

Como vimos anteriormente, a Experiência Total é uma estratégia de negócios que reúne a experiência do cliente, a experiência do funcionário, a experiência do usuário e a multiexperiência. 

A estimativa da Gartner é que as organizações aumentarão a receita e o lucro, caso alcancem resultados de Experiência Total adaptáveis e resilientes. 

Tendências de 2021

De olho no futuro, vale relembrarmos as tendências que marcaram o ano de 2021 quando o assunto é tecnologia. Vamos nessa?

No ano passado, os especialistas da Be220 comentaram as principais tendências tecnológicas do ano. A possibilidade do trabalho remoto foi um dos grandes destaques, com o conceito de “work from anywhere”.

A equipe transdisciplinar da Be220 é um exemplo disso. Temos a sede em Porto Alegre e nossa cultura é do trabalho híbrido, possibilitando atuação remota ou presencial, com profissionais de diversos estados do Brasil e até do exterior.

A evolução da privacidade de dados e cibersegurança também foi fundamental em 2021. A proteção de dados ocorre em três formas de computação com aprimoramento da privacidade: 

  • ambiente confiável no qual é possível processar ou analisar dados sensíveis, 
  • processamento e análise de forma descentralizada e 
  • encriptação de dados e algoritmos antes de as informações serem processadas e analisadas.

Esses métodos fazem com que o compartilhamento de dados ocorra de forma mais segura. 

E vale lembrar que, em 2021, entrou em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Isso faz com que as empresas estejam ainda mais atentas à privacidade de seus clientes e usuários.

O investimento e a democratização da inteligência artificial foi mais um destaque importante. Principalmente, porque é fundamental para entregar mais performance, escalabilidade e confiabilidade. 

E essa tecnologia está presente no AbigeApp, que é o aplicativo de combate aos crimes de abigeato. Desenvolvido pela Be220 com recursos próprios, possui inteligência artificial focada em identificação e segurança. 

Saúde e tecnologia cada vez mais alinhadas, com equipamentos de última geração para exames, diagnósticos e procedimentos que visam salvar vidas e levar mais bem-estar às pessoas. 

É o caso da Incoterm Soluções em Medição, que oferece monitoramento, medição, termometria e calibragem focados em saúde. Indústria líder na América Latina no segmento, é cliente da Be220 no desenvolvimento de aplicativo. 

Outro ponto são os métodos de pagamento novos e cada vez mais ágeis, com uma tecnologia no e-commerce que acompanha a evolução do mercado. As novas modalidades de pagamento, como o Pix, são exemplo disso. 

A popularização do 5G também tem relevância nesse cenário. O Fórum Econômico Mundial espera que a rede móvel de quinta geração alcance uma produção econômica de U$13,2 trilhões e gere 22,3 milhões de empregos até 2035

O crescimento dos web apps é outra tendência notável. Entender se um web app ou um aplicativo respondem melhor a sua necessidade é fundamental no momento de implementar cada um deles.

Foco da Be220: experiência do usuário e design

A Be220 também tem como foco atingir a melhor experiência no design e na usabilidade.

“Nosso slogan é ‘pessoas, tecnologia e design para transformar negócios’. A pessoa vem é nossa prioridade. A ideia é construir produtos que atendam as expectativas dos nossos clientes e seus usuários. Para que isso aconteça, é necessário que o UX seja o foco do projeto”, explica Gabriel Azambuja.

Douglas Lima também comenta quais são os objetivos da Be220 com o UX e Experiência Total.

“A Be220 tem como foco proporcionar, através de suas soluções, a melhor experiência para seus clientes e também a melhor experiência para os usuários finais de seus projetos”.

De olho nas tendências

Agora que você já sabe quais são as tendências tecnológicas atuais, é o momento de conversar com o nosso time!

A equipe transdisciplinar da Be220, formada por desenvolvedores, designers, publicitários, jornalistas e gerentes de projetos está pronta para entregar uma solução de acordo com as necessidades do seu negócio. 

Atuamos com desenvolvimento de projetos exclusivos de

Ou seja, podemos levar mais tecnologia para o dia a dia da sua empresa.

Entre os nossos clientes estão marcas de renome, como 

  • Itaipu Binacional, 
  • Incoterm, 
  • DFL Produtos Odontológicos, 
  • Labgard Animal Health, 
  • Ipanema Life Science, 
  • Sicredi, 
  • Águas Purificatta, 
  • Pecanera Brasil (Grupo Zaffari),
  • Associação Brasileira de Hereford e Braford,
  • Smark, 
  • Rede de Faculdades IMED, 
  • IEE/RS (Instituto de Estudos Empresariais/Fórum da Liberdade) 
  • Funcorsan,
  • entre outros.

Se você procurava uma agência de tecnologia, a sua busca acabou… Vem pra Be220 Digital! Estamos sediados no polo criativo do Artsy Office, no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre. Esperamos o seu contato!

compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp